Campanha em Tempo Real: a Importância do Monitoramento

  27/Jun

Desde as últimas eleições presidenciais, pudemos perceber como a internet e as redes sociais tem ganhado um papel cada vez mais decisivo na participação política dos cidadãos. Mas ainda é possível afirmar que muitos candidatos e suas equipes não se deram conta das inúmeras possibilidades que as ferramentas digitais oferecem. Uma das áreas mais importantes nesse quesito é o monitoramento. Com ele, é possível tomar decisões estratégicas no planejamento e execução da campanha e até mesmo na montagem do plano de governo. Isso porque o altíssimo volume de informações que os usuários postam todos os dias em suas páginas e perfis são fonte de conhecimento sobre anseios, necessidades, preferências e tendências de comportamento do eleitorado.

Vamos ver hoje algumas frentes em que o monitoramento é fundamental.

Algumas frentes em que o monitoramento é fundamental.
Algumas frentes em que o monitoramento é fundamental.

Gerenciar e identificar crises

As redes sociais são celeiros para discussões acaloradas e, na maioria das vezes, o tema política é o que mais desperta interesse dos usuários. Além disso, hoje as pessoas não se informam apenas pelos veículos tradicionais – TV, impresso e rádio. Pelo contrário, muitos dos assuntos tratados nos veículos surgiram primeiro na internet. Informações verídicas e boatos surgem de qualquer lugar e podem ganhar visibilidade nacional, o que torna o ambiente imprevisível.

Por isso, os candidatos que monitoram o que é dito sobre ele, seu partido e seus projetos têm mais chance de agir rapidamente e contornar possíveis crises. Durante o período de campanha eleitoral, o monitoramento se trona especialmente importante, pois os opositores tentam a todo o momento desconstruir a imagem um do outro. Então é preciso estar atento às criticas que emergem dos grupos sociais.

Termômetro da Campanha

Os dados oferecidos pela internet dão informações mais detalhadas que as pesquisas tradicionais sobre a intenção do eleitorado (dados demográficos, socioeconômicos, gênero, faixa etária, interesses, etc.) e trazem insights sobre o impacto da campanha, medindo se houve repercussão positiva, negativa ou neutra. A equipe pode analisar, inclusive em tempo real, o crescimento e declínio de popularidade de todos os pleiteantes, identificar pontos fracos e fortes do oponente e estudar como triar proveito dos erros e acertos para fortalecer a sua preferência entre os usuários.

Identificar Ativistas e Detratores

Mais do que a palavra dos candidatos, o que influencia o eleitor é a palavra de um a amigo, familiar ou pessoa de referência em seu círculo de atividades. Por isso, a equipe da campanha precisa identificar os cidadãos que advogam a favor do candidato para estreitar o relacionamento e dar a ele argumentos para reforçar o seu discurso junto à audiência, trazendo mais eleitores. O contrário também é necessário: identificar os detratores, entender seus argumentos, sua audiência e se planejar para desconstruir a imagem negativa que esse usuário está propagando.

Observar tendência de assuntos emergentes

Os candidatos que fazem uma gestão eficiente da sua campanha na web utilizam o monitoramento pra planejar suas ações a cada dia. Para definir pautas de seus programas de TV, posts do site, declarações em entrevistas, eventos e etc., ele analisa os assuntos mais populares no cenário político e o que foi dito a seu respeito em apoio ou crítica. Assim, consegue abrir um diálogo muito mais produtivo com os eleitores, ganhando em timing e relevância.

Repasse da Inteligência de Dados

Com tantos dados recolhidos no seu monitoramento, a equipe pode se perder em meio ao alto volume de informação e não conseguir usá-la de forma estratégica. Por esse motivo, o time responsável pelo monitoramento precisa começar o seu trabalho sabendo quais perguntas quer responder com a análise e já saber para quem esses dados serão estrategicamente interessantes, organizando o repasse aos departamentos.

Por exemplo: em uma visualização macro do ambiente da campanha, o time de monitoramento vai apontar que o seu candidato vem caindo em popularidade e sendo superado pelo principal oponente. Deve-se saber identificar em que momento e porque isso ocorreu. Vamos supor que a queda de desempenho se deu após o oponente começar a usar as redes sociais para conversar com os universitários a respeito do transporte na cidade, transformando o tema em um dos carros chefes da sua campanha.

Esse tipo de informação, acompanhado de avaliações numéricas, deve ser repassado para os gestores da campanha que, junto com a equipe de comunicação e marketing, decidirão uma nova estratégia para contra-atacar esse posicionamento, seja superando o oponente nesse mesmo tema, seja desconstruindo seus argumentos ou fazendo emergir um assunto mais relevante para a população.

Em nível micro, o time de monitoramento pode trabalhar em conjunto com os jornalistas para, por exemplo, fechar a pauta dos programas televisivos se baseando nos assuntos mais comentados da semana, nos temas abordados pelo opositor que obtiveram reação positiva do eleitorado ou nas criticas e elogios que tem recebido do eleitorado.

Cabe lembrar que o monitoramento é importante não só durante o período de campanha eleitoral. Por todos os tópicos mostrados acima, essa atividade é importante antes da campanha, na montagem da estratégia, e também após a eleição, já que a imagem da figura pública do candidato deve ser preservada, principalmente em caso de vitória.

Nós fizemos um post explicando como fazer o monitoramento e como escolher os principais indicadores de desempenho da campanha. Confira aqui. 

Se você curtiu esse post, compartilhe com outros profissionais. E se quer sugerir algum tema, fazer perguntas ou acrescentar informações, fique à vontade para deixar um comentário para nós.